NOTÍCIAS

Polícia Federal prende gerente de banco envolvido em fraude 01/12/2015
Uma operação da Polícia Federal na manhã desta terça-feira (1), prendeu dois gerentes do Banco do Brasil e um engenheiro ambiental. As prisões aconteceram em Franca e na cidade de Guará, onde um dos gerentes de banco esta sendo apontado como o líder de um esquema de fraudes milionárias em contratos agrícolas. 

Pela apuração da Polícia Federal, o valor da fraude pode ultrapassar R$ 4, 5 milhões, mais o valor total de documentos falsos pode elevar esta conta para R$ 35 milhões. O gerente de banco. Morador em guará foi preso em sua casa na manhã de ontem, o homem, é apontado pela PF como o líder do esquema, o outro gerente bancário e o engenheiro ambiental, também foram presos, além de mais duas pessoas que seriam responsáveis por aliciar “laranjas” para participar do esquema. 

A Operação denominada “Golden Boy”, teve inicio no final da madrugada, policiais estiveram em Franca e em Guará. Os cinco presos foram levados a sede da Polícia Federal em Ribeirão Preto. 

A operação 

As investigações da PF, tiveram inicio  em abril deste ano, o esquema estava centralizado em uma agência do Banco do Brasil em Guará  e envolvia contratos de financiamentos agrícolas para produtores rurais falsos da cidade e também de Franca.

De acordo com a investigação, o líder do grupo era o gerente geral da agência do Banco do Brasil em Guará. O gerente havia pedido demissão do cargo, segundo a PF, assim que descobriu que seria alvo de uma auditoria interna do banco. 

 O gerente era o responsável por aprovar os contratos de financiamentos agrícolas, que eram abertos em nome de outras pessoas, chamadas de “laranjas”. As contas eram abertas e os contratos aprovados pelo gerente. As informações dos cadastros e os documentos para a abertura das contas e liberação dos créditos eram falsos, segundo a PF, e o dinheiro liberado pelo banco ficava pouco tempo nas contas, sendo rapidamente sacados pelos integrantes do esquema. 

Uma linha de investigação da Polícia Federal procura descobrir quais seriam as vantagens que os “Laranjas”, tinham para participar do esquema fraudulento. Os laudos para a liberação dos créditos agrícolas eram falsos e assinados pelo engenheiro ambiental. Em alguns casos, até pessoas beneficiadas pelo Bolsa Família, tiveram cadastros aprovados como produtores rurais de grande porte no mercado. 

Golden Boy

A Polícia Federal tem como costume dar nomes as operações que realiza e o titulo de “Golden Boy”, (menino de ouro), se deu em razão de um dos gerentes envolvidos no crime de fraude, ser considerado pela gerencia geral do Banco do Brasil, como um dos funcionários que maior chance de crescer na empresa. 

Todos os envolvidos no esquema que pode ter fraudado R$ 35 milhões, foram levados a sede da PF em Ribeirão Preto e ficarão a disposição da polícia até a finalização do inquérito. 

FONTE: francanoticias.com.br

nossanoite.com.br - 2002 - 2015 - Todos os direitos reservados desenvolvido por Alsite