COLUNA VOCÊ DEVE SABER

16/11/2017 - Furto/ Perda de documentos, o que fazer?

No Brasil é muito recorrente o furto de documentos, isso porque, é possível praticar vários crimes com eles, e infelizmente a responsabilidade é do titular do documento roubado. 
Além disso, com a correria do dia a dia é comum também à perda dos documentos, que oferecem os mesmos problemas do furto, afinal, é a perda da sua identidade.
Entretanto, há algumas atitudes que podemos tomar que nos possibilitam resguardar os nossos direitos, e o melhor, é que a maioria delas podemos realizar sem sair de casa, pois serão  realizados pela internet.
• Primeiramente, é necessário registar um boletim de ocorrência na delegacia eletrônica no site: http://www.ssp.sp.gov.br/. Esse primeiro passo é muito importante, porque será solicitado para a emissão da segunda via dos documentos. A segunda via do RG e da CNH poderá ser solicitada por meio de agendamento pelo site: http://www.agendasp.sp.gov.br/

• Depois deve-se informar gratuitamente o Posto de Atendimento do SPC. Para saber qual o posto mais próximo de você é só consultar no link: https://www.spcbrasil.org.br/consumidor/postos-atendimento

• A Serasa Experian oferece um cadastro online pelo link: http://www.serasaconsumidor.com.br/servicos-roubo-perda-de-documentos/ que consiste em uma “Alerta Provisória” que vale por 10 dias úteis para documentos e 3 dias úteis para cheques, no qual as informações de furto/perda ficam disponíveis para as empresas que consultem o órgão em todo o território nacional, sendo possível também a “Alerta Permanente”.


• Esse mesmo link disponibiliza um serviço que avisa por e-mail ou SMS se alguém tentar usar seu CPF, entretanto esse serviço não é gratuito.

• Em caso de furto/perda de cheques, cartões de crédito/débito é necessário informar o banco e solicitar o cancelamento do documento perdido (pedindo sempre a comprovação do pedido de cancelamento).

COMPARTILHAR:

06/11/2017 - Planejamento Sucessório em Empresas Familiares

“A família é como um barco no mar tempestuoso deste mundo. Quando todos remam juntos, com amor e cooperação, ela sempre chega ao cais da felicidade”.
Desconhecido
As empresas familiares têm contribuído significativamente para o desenvolvimento da economia mundial, pois é o tipo de organização que mais cresce no país, entretanto, pesquisas revelam que aproximadamente 30% das empresas familiares sobrevivem na segunda geração e apenas 10% na terceira geração. Por quê?
Um dos principais motivos é que a maioria das empresas familiares não possuem um plano de sucessão familiar, isso porque é comum as lideranças das empresas familiares considerar a sucessão um evento, e não um processo, o que acarreta um despreparo generalizado para a sucessão do empreendedor que será sucedido, do escolhido que será seu sucessor e dos empregados da empresa, prejudicando a longevidade do empreendimento.
Para Lansberg, o sucesso de uma empresa familiar está na capacidade de seus membros separar os três chapéus, que não podem se sobrepor: o chapéu de membro da família, o chapéu de acionista e o chapéu de executivo da empresa. A sucessão representa o poder de continuidade de um nome de família, e o planejamento sucessório possibilita a perpetuação da organização.
O objetivo do planejamento sucessório é identificar meios para minimizar os impactos relacionados com a saída de um ou mais fundadores da empresa, detectar quem está disposto a ser o sucessor e qual a sua competência em gestão empresarial, de forma a preparar o potencial sucessor, garantindo o prosseguimento da empresa. 
Portanto, o fundador que pretende a longevidade da sua empresa por várias gerações deve preocupar-se em elaborar um bom planejamento sucessório, amenizando os conflitos familiares, oferecendo uma boa preparação e formação aos seus sucessores resolvendo a sua sucessão enquanto está no comando da situação.
Bibliografias:
GONÇALVES, Sérgio de Castro. Patrimônio, família e empresa: Um estudo sobre as transformações no mundo da economia empresarial. São Paulo: Negócio Editora, 2000.
PETRI, Luís Inácio; NASCIMENTO, Auster Moreira. Um estudo sobre o modelo de gestão e o processo sucessório em empresas familiares. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rcf/v20n49/08.pdf>
FLORIANI, Oldoni Pedro; RODRIGUES, Leonel Cezar. Sucessão Empresarial: Processo Sucessório em empresas familiares. Disponível em: < http://www.anegepe.org.br/edicoesanteriores/maringa/GPE2000-19.pdf>

COMPARTILHAR:

Páginas:

  • 1
  • Advogada (OAB/SP 366.796) no escritório Junqueira Munhoz Advocacia, administradora do projeto "Coisas que todo cidadão deve saber" e membro do grupo PREMAF (Parto com Respeito e Maternidade Ativa Franca)

    Contato:
    (16)992684477 / Site

    Sobre a Coluna

    Na coluna Você Deve Saber procuro transmitir a todos, com linguagem simples e sem complicações, noções de cidadania, informações sobre direitos nas relações diárias e, além disso, luto pela igualdade, paz, liberdade, contra a violência e o preconceito.


    nossanoite.com.br - 2002 - 2015 - Todos os direitos reservados desenvolvido por Alsite